Somos arquitetos de nossa própria estrada e seremos conhecidos pela influência que projetamos naqueles que nos cercam.

A Vida no Planeta Marte e os Discos Voadores - Ramatis

Nestes tempos atuais graças a diversidade de conteúdos para leitura disponíveis na internet tomamos ciência de fatos novos e dentre eles o que nos chamam a atenção são os temas que possibilitam uma reflexão sobre os aspectos da vida na terra. As questões referentes a transição da humanidade no Planeta Terra tem sido uma das abordagens que no dia a dia vem demandando novas postagens pelos inúmeros blogs encontrados na internet. Recentemente publiquei neste blog o conteúdo psicografado de Ramatis, referente a passagem do Astro Intruso pelo Planeta Terra, evidenciando que o homem precisa buscar sua harmonia e equilíbrio entre sua condição de vida material e espiritual.
A partir desta publicação inicio a descrição de outra psicografia de Ramatis, do livro "A Vida no Planeta Marte e os Discos Voadores". A questão da vida em outros planetas do nosso sistema solar e as constantes divulgações na imprensa e blogs sobre visualizações de "objetos voadores não identificados" são temas que tem nos instigado a imaginação e curiosidade e tais fatos me levaram a relatar os comentários de Ramatis sobre estes temas.
Antes de passarmos a leitura das perguntas e respostas de Ramatis, gostaria de emitir um comentário pessoal, no princípio da leitura do livro psicografado de Ramatis, julguei as respostas muito fantasiosas, mas a medida que avançava na leitura, tive insigths que demonstravam não ser ficção e sim um fato real, apenas o que nos distancia desta realidade é o princípio de nossa evolução planetária, estamos apenas iniciando nossa jornada para obter novos conhecimentos extra-terrenos, se ainda eles não são plenos em nossas vidas é porque nosso estado de aprendizado está nos primeiros estágios, quem sabe nos próximos 100 anos os seres humanos que aqui habitarem estarão considerando um fato natural o que hoje nos deslumbra em leituras como esta.
Não irei relatar 100% do conteúdo do livro "A Vida no Planeta Marte e os Discos Voadores" e sim aqueles pontos que servirem para demonstrar que há algo de novo a conhecer.

Pergunta: Marte é habitado?
Ramatis: É um dos mundos enunciados por Jesus quando Ele disse: "Há muitas moradas na casa de meu Pai". Vive lá uma humanidade mais evoluída do que a terrestre, embora guardando certa semelhança física.
Marte é um grau sideral à nossa vanguarda e é, também, a vossa futura realidade espiritual.

Pergunta: Os habitantes de Marte são muito mais adiantados do que os da Terra?
Ramatis: Sim; pois já não são isentos dos impulsos da violência e das deprimências ou vícios das paixões inferiores que ainda imperam na Terra.

Pergunta: Poderíeis dar-nos idéia mais nítida desse adiantamento, em relação ao nosso grau evolutivo?
Ramatis: Sem a presunção de um cálculo exato, tomando por base a cronologia do vosso provisório calendário terrestre, pressupomos que os marcianos, em relação a vós, estejam adiantados moralmente um milênio; e mais ou menos cinco séculos, no campo científico.

Pergunta: Na esfera científica, quais os setores em que é maior a disparidade de evolução?
Ramatis: Em quase todas as ciências que dependem de "energia motriz". Na Terra estais subordinados, especialmente, à eletricidade: porém, no Planeta Marte, graças à engenhosa descoberta e aproveitamento da força magnética, cuja essência íntima está profundamente relacionada ao conhecimento do plano etérico, os marcianos lograram progressos ainda inconcebíveis para o vosso mundo.

Pergunta: Quais as características científicas e técnicas da Terra, que mais se aproximam das realizações marcianas?
Ramatis: Achamos certas semelhanças nos vestuários...o mobiliário residencial e sua decoração apresenta alguma equivalência...Existe, igualmente semelhança nos traços e aspectos das vossas modernas rodovias e avenidas.

Pergunta: Na botânica e na química, distanciam-se muito de nós?
Ramatis: Nesses dois setores os marcianos conseguiram um avanço verdadeiramente genial...No que respeita à botânica, por exemplo, precedem-vos de duzentos a trezentos anos...no "quimismo" vegetal; pois alcançaram prodígios que, sem exagero, são os que se referem os vossos contos de fadas.

Pergunta: A duração do dia, em Marte, coincide exatamente com a prevista pelos nossos astrônomos?
Ramatis: Sim, é de vinte e quatro horas e quarenta minutos, somando um total de 688 dias o ano marciano.

Pergunta: A atmosfera de Marte é realmente como afirmam os nossos cientistas?
Ramatis: É semelhante à da Terra, embora mais rarefeita por estar em sintonia com a natureza mais delicada de seus habitantes.

Pergunta: Os marcianos poderiam suportar a nossa atmosfera?
Ramatis: Mediante adaptação gradativa e metódica...portanto não existem absolutas diferenças biológicas.

Pergunta: E nós poderíamos adaptar-nos à atmosfera marciana?
Ramatis: Há a considerar que a atmosfera de Marte é bastante tênue para os vossos pulmões, que são adequados ao oxigênio contaminado de impurezas. E enquanto a vossa respiração depende, especialmente da quantidade, a dos marcianos é essencial pela qualidade.

Pergunta: No entanto, os nossos astrônomos alegam a impossibilidade de vida humana em Marte, pela considerável falta de oxigênio. Que vos parece?
Ramatis: Desse ponto de vista, demasiadamente exagerado, os marcianos também poderiam alegar a impraticabilidade de vida na Terra, em face de existir oxigênio...Alegam os vossos cientistas que a atmosfera marciana é pobre de oxigênio, mas nós indagamos: em relação a que padrão? Ao vosso mundo? Porventura, esses cientistas têm alguma base ou fundamento racional e acatável, que os induza a fixar a vida cosmológica do vosso planeta como o padrão absoluto para aferir os valores "aquém" ou "além" no Universo?

Pergunta: Os nossos cientistas obstinam-se em afirmar que a temperatura de Marte, durante o dia, atinge um grau de calor tão elevado que os terrícolas não poderiam suportá-lo; acontecendo o mesmo durante a noite, pois o frio excede muito as temperaturas mais baixas do nosso orbe. Por conseguinte, num ambiente de tais extremos, a vida dos terrícolas seria absolutamente impossível. Não vos parece?
Ramatis: O defeito proverbial da ciência terrena é conceituar situações da vida noutros orbes, exclusivamente baseada no "modos vivendi" dos terrícolas. Entretanto, podemos afirmar que em inúmeros planos de vida há organismos humanos, à base de silício, alumínio, ferro e outros elementos, embora sob constituição "fisioquímica" distante de vossas compreensões.

Pergunta: Qual a temperatura natural de Marte, baseando-nos em nossas convenções termométricas?
Ramatis: Nas regiões equatoriais a temperatura oscila de 25 a 30 graus, a qual é agradabilíssima ao sistema biológico marciano. Chove raramente; e, pelas quedas bruscas, à noite são comuns as geadas; mas isto não traz preocupações aos habitantes, pois a ciência marciana domina as forças da natureza e sabe agir em oposição aos desequilíbrios atmosféricos.

Pergunta: E essas quedas bruscas de temperatura, à noite, não serão insuportaveis e nocivas, pela fuga rápida de calor do solo?
Ramatis: Esqueceis os satélites que, por sábia disposição do Criador, absorvem mais calor durante o dia e à noite funcionam como refletores para Marte.

Pergunta: O Sol, em Marte, não é porventura menos intenso do que sobre o nosso mundo? E essa maior distância não dificulta a vida, em face de menor aquecimento?
Ramatis: Deus que gerou e equilibrou os mundos, no Cosmo, depois de criado o mais difícil e complexo, não poderia incorrer em erros tão crassos, desorientando-se na questão de climas, pressões, vegetação e outros imprevistos incompatíveis com a vida humana.
Os raios solares penetram na atmosfera de Marte com mais vigor e pureza, compensando as distâncias, porque também encontram menor obstáculo na atmosfera menos rarefeita. E à noite o calor irradiado do solo também é compensativo, pela razão simples de que esses raios solares penetram mais profundamente, em atrito com os lençóis magnéticos dos minerais subterrâneos.

Pergunta: Afirma-se que a própria pressão atmosférica, em Marte, é tão baixa, que um homem terreno lá não viveria, salvo com vestimenta pressurizada. Será assim?
Ramatis: Folgamos na distinção - homem terreno. Quanto aos marcianos, cuja vida é acentuadamente aérea, em poderosas aeronaves movidas pela força magnética, já vos notificamos que seus organismos não se imantam fortemente a lei de gravidade, a qual também podem controlar satisfatóriamente.

Pergunta: Poderíeis dar-nos alguns esclarecimentos a respeito do tráfego, locomoção e trânsito nas cidades marcianas?
Ramatis: Três quartas partes do movimento é feito pelo ar, mediante aeronaves de absoluta segurança, cuja capacidade possibilita conduzirem muitas toneladas de mercadorias e centenas de passageiros. O tráfego sobre o solo e o trânsito de pedestre, no círculo das cidades e nas rodovias, constitui, apenas, uma quarte parte do movimento global.

Pergunta: Quais os tipos dos veículos rodoviários?
Ramatis: Em geral, são amplos, construídos de matéria semelhante ao tipo plástico, do vosso mundo, porém muitíssimo mais resistente. Suas cores são claras, translúcidas e radioativas à noite. Tais veículos deslizam sobre o solo, que possui flexibilidade semelhante à da espuma de borracha.

Pergunta: Qual é o sistema de propulsão?
Ramatis: Complexa bateria de condensadores capta a energia magnética do ambiente e a refina e transfere para os acumuladores que se calibram na própria radioatividade dispersa...Deslizando alguns centímetros acima do solo, lembram as vossas aeronaves quando decolam dos campos de pouso. Em seguida, alçam-se a maior altura, até que firmam a velocidade em vôo gracioso.

Pergunta: Há muitos oceanos, iguais aos nossos, e existem zonas desertas?
Ramatis: A superfície líquida é muito menor do que a sólida, e suas águas se infiltram bastante no solo. Os mares são pouco profundos e os continentes são muito recortados, existindo enseadas e golfos em quantidade.
Quanto às áreas desertas, existem algumas, de areia fulva; mas noutras áreas existem campos de cultura, os bosques e exuberante vegetação que se estende à margem dos canais suplementares ou artificiais. E os imensos cinturões que observais, da Terra, quais bordados de verdura forrando as zonas ribeirinhas dos canais, são constituídos de ubérrima vegetação sob controle científico.

Pergunta: Há o degelo que a nossa ciência constata através de seus telescópios?
Ramatis: Sim, e às vezes algo violento, principalmente porque a superfície marciana é quase plana, com raras elevações. Mas o Criador, que é Magnânimo e Sábio, provendo seus filhos conforme suas necessidades evolutivas, quando plasmou em sua Mente Divina a configuração de Marte, modelou também a rede desses canais que, em caprichosos sulcos, captam e distribuem harmoniosamente os excessos de gelo nos pólos. E o homem, que foi feito à semelhança de deus, completou a Obra Divina, com o outro sistema menor, de canais suplementares, que nutrem as zonas de vegetação e a vida animal.

Pergunta: Ser-nos-ia possível conhecer os motivos por que em Marte a vegetação é avermelhada, enquanto em nosso globo, predomina o verde?
Ramatis: É de física primária que a luz branca se decompõe em sete cores espectrais, refrangíveis. O Sol que vos envolve com o calor afetivo e vos proporciona suave magnetismo sob o prisma da Lua, lança-vos os seus raios brilhantes, os quais, originalmente, são brancos. Atravessando a vossa atmosfera, que se transforma, realmente, num imenso reservatório de luz, essa luz branca, que sabeis não ser simples, vai-se prismando sobre todas as coisas e objetos, que se envolvem nessa claridade. As cores espectrais que compõem o raio solar, branco, vão sendo absorvidos, gradativamente, em infinitos matizes e refletem outras cores correspondentes. O colorido, pois, depende sempre da estrutura molecular do objeto ou ser, conforme a sua capacidade e disposição para absorver e refletir a cor sintônica à vibração fundamental. Consequentemente, a disposição molecular da Terra se ajusta, vibratóriamente, ao nível da cor verde, a de Marte ao avermelhado e a de Saturno ao azul suave.

Pergunta: A água de Marte é igual à nossa?
Ramatis: É algo semelhante, embora muitíssimo mais leve. Cremos que os vossos astrônomos, em recente análise espectral, devem ter verificado que as neves e nuvens, em Marte, são compostas químicamente de H2O, variando, no entanto, quanto à especialidade e peso. Sob reações científicas, pode ser igualada à da Terra; porém o marciano prefere para seu uso um tipo de água pesada, grandemente radioativa e que melhor lhe nutre o sistema "organomagnético".

Pergunta: A composição das calotas polares é, realmente, produto de gelo acumulado, à semelhança de nossos polos?
Ramatis: Nisso a ciência terrena não se equivocou, inclusive na anotação das nuvens azuladas, que registrou em suas observações. O que por vezes nos surpreende é que a mesma ciência, negando oxigênio suficiente em Marte, anota calotas polares e nuvens azuladas que resultam sempre de hidrogênio e oxigênio, na fórmula comum. Essas nuvens fundem-se, na primavera, em cada hemisfério e renovam-se no outono; algo semelhante ao que ocorre no vosso globo. Uma parte da água se evapora; outro segue o curso natural dos canais topográficos e uma última infiltra-se, fortemente, pelo solo, escapando à circulação. Em face de a atmosfera marciana ser mais tênue e translúcida, acentua-se a vossos olhos a brilhante alvura das calotas, em contraste com qualquer outra cor, por mais suave que seja.

Pergunta: Essas nuvens azuladas são exclusivamente resultantes das evaporações dos gelos polares?
Ramatis: A maior percentagem provém do agrupamento de vapores de água, expelidos por enormes conjuntos de máquinas possantes, que fazem parte das instalações gigantescas, produtoras de chuvas e de recursos para atenderem à falta de água e de líquidos químicos nas regiões distantes da rede de canais. Funcionam contíuamente com energia extraída da própria atmosfera e possuem admirável capacidade de armazenar, novamente revitalizadas, as energias consumidas.

Pergunta: Há realmente, dois satélites em torno de Marte, conforme certifica nossa ciência astronômica?
Ramatis: São dois os satélites naturais, que constituem a âncora do orbe e refletem as energias magnéticas indispensáveis, na dosagem prevista pelo Sublime Técnico que é Deus. No entanto, quanto maiores progressos fizerdes no campo da ótica e da instrumentação telescópica, verificareis a existência de inúmeras bases flutuantes no campo gravitacional marciano. Trata-se de satélites artificiais locais, de pouso interplanetário e utilizados, especialmente, para observações astronômicas além da atmosfera comum.

Pergunta: Esses dois satélites naturais são habitados?
Ramatis: Apenas um deles oferece condições análogas a Marte, embora o teor magnético de sua atmosfera já esteja mais fraco. Seus habitantes são de estatura bem menor do que a dos marcianos, pois não ultrapassam um metro de altura. Porém, alcançaram educação espiritual superior e progrediram imensamente no campo científico. Também possuem aeronaves interplanetárias, as quais diferem um pouco das adotadas pelos marcianos porque a força magnética equivalendo à natureza específica de cada atmosfera, o magnetismo usado para mover as aeronoves do satélite, é mais desvitalizado.

Pergunta: E esse satélite habitado, é visitado pelos habitantes do planeta Marte?
Ramatis: Evocando certas definições graciosas do vosso mundo, podemos assegurar que são muito comuns os "fins de semana", da parte dos marcianos, no satélite habitado. Há perfeito e comum intercâmbio aéreo, com linhas regulares e aperfeiçoadíssimo sistema de telegrafia colorida, inclusive recepção televisionada, intercontinental. No dito satélite, pomares, jardins e bosques plantados à beira de lagos edênicos; regiões primorosas de verdura aveludada, com magníficos campos de esportes, todos sob atmosfera magneticamente preparada, formam recantos jubilosos, com que os habitantes do satélite atraem os marcianos, em visitas fraternas e turísticas.

Finalizo esta primeira leitura, convidando aos leitores para refletirem sobre os comentários de Ramatis. De fato, Marte, na condição denotada provoca um certo ar de expectativa em cada um de nós, quanto a uma possível visita de turismo ao planeta vermelho. Porém como ainda não dispomos de condições no Planeta Terra que permita tal façanha resta-nos absorver o conteúdo desta leitura e das próximas que serão publicadas a respeito da vida no Planeta Marte. No entanto fica um ar de questionamento sobre a veracidade dos fatos, visto que a NASA nestes últimos anos tem enviado satélites ao planeta Marte para prospecções e o que nos revelam é um planeta deserto, não tendo relação com as afirmações de Ramatis.
Minha opinião pessoal, ou há uma negação da realidade que nos é apresentada pela NASA ou então por mais de moderno que seja nossa ciência aeroespacial, ela ainda é muito atrasada que não dispõe de equipamentos capazes de traduzir o que ocorre em outra dimensão do nosso sistema solar.
Até a próxima leitura sobre os "Aspectos gerais marcianos".

7 comentários:

  1. newton_rocha@yahoo.com.br16 de março de 2012 06:36

    muito interessante o assunto,ainda desconheço quem é ou foi ramatis,gostaria de saber quem é,pois são assuntos interessantes que fogem a nossa compreenção,pois somos viajantes espaciais eventuais e temos muito a aprender,e o ser humano para digerir certas coisas precisa de tempo,e provas absolutamente confiaveis em um universo de diversas mentes totalmente diferentes,criando polêmicas intermináveis em cima de assuntos pouco conhecidos. obrigado newton rocha.

    ResponderExcluir
  2. Olá Newton, agradeço sua visita ao blog e por seu comentário. Em todas literaturas espírita iremos encontrar vários doutrinadores que trouxeram uma mensagem em determinado período de existência da humanidade, a exemplo de nossos dias com Chico Xavier. Ramatis é um deste doutrinadores, que teve sua existência no planeta Terra, muito antes da vinda de Cristo. Desde 1950 que Ramatis vem se manifestando por meio de médiuns sobre o progresso do planeta no tocante a moral e a espiritualidade. A diferença de sua fala para o que a doutrina espírita prega, é que ele trata da realidade da humanidade no tocante a seu comportamento e nos adverte quanto a necessidade de repensar a forma como nos conduzimos no dia a dia, visto que nossas ações podem gerar efeitos karmícos os quais teremos que responder por eles. Já a doutrina espírita tem o objetivo de nos esclarecer sobre a imortalidade da alma (o espírito) e a importância de buscarmos uma vida de retidão moral e intelectual. Como você pode ver tanto Ramatis como a doutrina espírita tratam da espiritualidade do homem, tanto em existência física no planeta como a vida pós existência na carne.
    Um grande abraço e que seus caminhos sejam iluminados.

    ResponderExcluir
  3. Pra que Deus criaria todo o universo? só pra enfeitar...e tem gente que ainda não acredita...seria muito convencimento achar que só existe vida aqui...livro espetacular.

    ResponderExcluir
  4. Agora sim um espirito que mostra a verdade...... E nao como os grandes espiritos das grandes colonias fazem..... Em esco der a verdade porqe ja estou cansado de ouvir coisas sobre colonias, umbrais e como é maravilhoso o mundo espiritual.... E as naves que nos visitam a muitos anos???? Quem sao eles?? E essas raças de extraterrestres??? Quem sao os mocinhos e os malevolos??...ramatis veio nos dar essa no/çao que os outros famosos espiritos nao nos passaram pela justificativa de que snao saberiamo lidar com tal verdade... Eu tenho sede da verdade xomo qualquer pessoa e a respeito se ramatis. Nao usa tantas frase cheias de rodeios que somente um aluno de havard poderia ler....alguem mesmo disse que o q importa nao é a forma mas sim o fundo.... Se nao querem nos passar a verdade nao atrapalhem e deixem os querem prosseguir

    ResponderExcluir
  5. Já podemos ver claramente as gigantescas cidades do Planeta Marte através do Google Earth

    “Em face do avanço científico de vossos dias, no campo da astronáutica, e, também, das relações interplanetárias delineando-se para este século, não tardam as comprovações de que Marte é mundo habitado e superior à Terra, com um índice científico, social, moral e espiritual primoroso”. Hercílio Maes/ RAMATIS, 1995!

    Google Earth Pro agora está disponibilizado para download gratuitamente, não é mais preciso desembolsar quase 400 dolares todos os anos para renovação da licença.

    Baixe-o aqui: https://www.google.com.br/earth/download/gep/agree.html
    Observação: o Google Earth Pro requer uma chave de licença. Se você não possui uma chave, use seu endereço de e-mail e a chave: GEPFREE para fazer login.

    COORDENADAS PARA PESQUISAR MARTE NO GOOGLE EARTH
    4°3'14.47"N 81°5'56.00"W

    ResponderExcluir
  6. O que eu não entendo é que vemos um monte de fotos de Marte através das nossas sondas e telescópios, todas mostram um planeta árido, sem vida alguma, as vezes procuram sombras e imagens que se parecem com um ser ou alguma estrutura, eu lí o livro, nele falam sobre estruturas modernas e carros voadores e tal, agora porque as fotos que vemos são de um Planeta deserto?...onde estão tais estruturas citadas no livro?...a não ser que seja em outra dimensão.

    ResponderExcluir
  7. Olá Danilo, Ramatis o qual relata o conteúdo do livro A Vida no Planeta Marte é um espírito Ascensionado, ele refere-se a vida neste planeta no plano etéreo, como você mencionou, tudo se passa numa outra dimensão, a exemplo de nosso planeta terra, há uma outra dimensão onde aqueles que desencarnam migram para dar continuidade em suas jornadas de vida. Agradeço sua postagem.

    ResponderExcluir

Comentário

Related Posts with Thumbnails